quinta-feira, 2 de julho de 2009

Luz - Colombo palmeiras

.
Esta imagem tem algo de estranho. A luz e as sombras. O insólito das belas palmeiras dentro de casa. A dimensão das árvores comparadas com as pessoas. Depois, vim a saber (e a apalpar): as palmeiras são falsas! Feitas com materiais verdadeiros, mas descascadas, restauradas, reconstruídas à volta de tubos de ferro e colocadas em vasos de cenário! (2006).

5 comentários:

Ferreira-Pinto disse...

Infelizmente nem sempre o belo deixa de ser assim ... artificial!

Manolo Heredia disse...

Os grandes centros comerciais de hoje são as catedrais de outrora. Tentam cativar fieis atravez da grandiosidade e da estética.

analima disse...

A luz e as sombras formam uma quadrícula que nos pode fazer pensar que as palmeiras (e as pessoas?) estão aprisionadas neste espaço, o que não deixa de ser contraditório, quando comparado com o cenário real em que estas árvores costumam estar. Mas, se elas próprias não são reais…

Alexandra disse...

As palmeiras talvez só desejassem nunca ter sido encontradas, lá ao vento africano que as viu crescer ou,na versão parola portuguesa, numa estufa de beira de estrada algarvia, entre cartazes horríveis, portugueses pobres e turistas anestesiados.
Eu prefiro pensar que as grossas sementes destas palmeiras ficaram em chão africano e que, apesar da crise, da estupidez humana, dos cataclismos políticos e de tudo o resto, um dia rebentarão em chão desconhecido cumprindo o destino da Natureza: existir.

Sérgio Aires disse...

Tem tanto de estranho quanto de belo. Quanto à "falsidade" das palmeiras ela é a perfeita representação de tudo o resto que se pode encontrar lá dentro.