quinta-feira, 6 de agosto de 2015

Morreu um amigo!

Luís Roseira era lavrador do Douro, produtor de vinho do Porto e do Douro. Deu corpo à empresa e aos vinhos da Quinta do Infantado. Lutou durante pelo menos setenta anos pelo Douro e pelos Durienses. Era médico João Semana e anestesista. Exerceu em Covas do Douro e no Porto. Fez dezenas de partos, milhares de quilómetros para socorrer doentes, ajudou pobres e tratou dos amigos. Era um democrata, um socialista e um homem livre. Partido, autoridade, Igreja, Banco, burocrata ou milionário: ninguém mandou nele. Por isso esteve preso. Por isso os dirigentes de tudo e de mais qualquer coisa o consideraram sempre um incómodo. Escreveu centenas de artigos em jornais, assim como um livro de memórias e de combate. Só a doença o calou. Morreu ontem.

3 comentários:

Avó Ana disse...

Acabo de ver e não consigo falar com a Paula...??? Não sabia...Gostava muito do "Roseirinha" com aquele olhar maroto e suas belas estórias.Ele e Paula devolveram-me o amor pelo Porto onde vivi quando meu pai era médico na Escola de Belas-Artes tempo de Antonio Quadros( o Pintor e não "homem das letras" como chamava "ao outro"), Dordio Gomes,Jose Forjaz, Jose Rodrigues e tantos dessa belíssima safra. Doeu-me sua morte. Não esperava apesar de já estar doente hà muito tempo. Quando o visitei já estava em sofrimento. E a Paulinha sempre atenta e carinhosa..Que sorte ter uma mulher assim! Como amava o Douro! Grande saudade que fica a juntar-se a tantos amig@s que já partiram....Obrigada pela bela homenagem.Ele falou-me muito de si e sei bem da vossa cumplicidade .... Ana Filgueiras

António Barreto disse...

Olá Ana! Obrigado pelas suas palavras. Subscrevo tudo quanto disse da Paula!

Avó Ana disse...

Só agora li o seu comentário...perco-me nos heterónimos que criei para o meu neto, para o trabalho, para o meu bairro, para a aldeia com a qual divido o meu viver etc. Mesmo há pouco falei com a Paulinha("do Roseirinha").
Sou -como muit@s eu sei..- uma grande admiradora de todos os seus trabalhos desde os do sociólogo, ao historiador, fotógrafo e eu sei lá quantos mais "ofícios". Um forte abraço Ana Filgueiras