domingo, 25 de janeiro de 2015

Luz - Exposição de fotografias de rua, Barcelona.

Clicar na imagem para a ampliar
*
Nas ruas e avenidas que levam à Praça da Catalunha, assim como às Ramblas, estava uma curiosa exposição de fotografias. Estas eram de boa qualidade, bem impressas, de grande formato e colocadas em “outdoors” (Creio que é assim que se lhes chama hoje… Há uns anos, pelo menos em Lisboa, chamávamos-lhes “bombocas”, por causa de um dos primeiros produtos que tinha recorrido a este truque publicitário…). A exposição tinha um fio condutor, ou um traço comum a todas as imagens: sendo provocatórias, as fotografias tinham como objectos pessoas, ângulos e formas pouco ou nada fotogénicos. Como é o caso desta senhora idosa, com rugas e celulite. A ideia era simples: destruir os conceitos datados, mercantis e convencionais que estabelecem os critérios do belo, da moda e do que é esteticamente valorizado. Não era inédito, nem excepcionalmente interessante. Mas era curioso, até pelo dispositivo: imagens misturadas com as pessoas e a publicidade, nas ruas, entre os transeuntes, obrigando-nos a parar um segundo para pensar. (2012)

2 comentários:

Bartolomeu disse...

Porem, a Senhora da foto exibe uma brilhante cabeleira, o que não deixa de ser um contraste... respeitável no mundo inconstante dos «conceitos datados».
Certa altura, decidi que haveria de criar um rebanho de ovelhas. Comecei por adquirir 4 borregas a escorregar para ovelhas. Em seguida, pedi a um vizinho que me emprestasse o carneiro. 5/6 meses após as 4 ovelhas pariram 7 borregos, o que fêz com que o rebanho passasse de 4 para 11 cabeças. Este sucesso obrigou-me moralmente a requerer a inscrição como criador de ovinos e caprinos e a requerer a visita de um vetrinário e as competentes vacinas e brincagem. Como o médico não havia meio de aparecer e os borregos já não mamavam e as ovelhas já estavam a jeito de se avistar de novo com o carneiro, decido telefonar ao médico veterinário onde levo os meus cães. Contei-lhe a istória toda e perguntei-lhe se ele teria disponibilidade de se deslocar a minha casa para vacinar as ovelhas.
Obtive como resposta, as perguntas: mas você agora tornou-se pastor?
Respondi-lhe que não, que tinha as ovelhas num espaço vedado, com erva e palha e que à noite as recolhia e lhes dava aveia.
Perguntou-me então se criava as ovelhas para vender.
Respondi-lhe que não, que a ideia seria para consumo próprio e para oferecer aos amigos, que tinha sido uma ideia mais por graça que outra coisa.
Respondeu-me então que não me devia ter inscrito na associação de criadores mas, ainda bem que o veterinário não tinha aparecido e que não precisava de vacinas nenhumas, desde que as ovelhas comessem normalmente e que a lã se mantivesse lustrosa, seria suficiente para saber que estavam saudáveis.
Se a foto fosse de uma ovelha e se soubesse que comia bem... não restariam dúvidas que com aquela cabeleira, estaria de perfeita saúde e recomendava-se!
;)

Blogspot disse...

A imagem (da foto postada no blog)não me parecia de uma mulher idosa e cheia de rugas, vimos apenas as estrias.

Mulheres jovens e sem rugas também tem estrias.

À parte isso, gostei muito do post!