domingo, 13 de maio de 2018

Sem Emenda - As Minhas Fotografias

Pagadora de promessas, em Fátima – Hoje é 13 de Maio. Talvez não haja muitas imagens parecidas com esta, até porque tal género de fervor é menos frequente nos dias grandes, 13 de Maio ou 13 de Outubro, e habitual, com algum recato, fora destas datas. Com mais ou menos conforto debaixo dos joelhos, com um piso mais ou menos suave ou pedregoso, é assim há dezenas de anos. É assim que se pagam promessas, em Fátima, nem sempre com esta dureza, às vezes com menos sacrifício, mas quase sempre com especial devoção. O que é preciso de fé para se chegar a este gesto de sofrimento! O que é necessário de amor por alguém para assim pedir pela sua saúde, pelo seu regresso e pela sua vida! O que é preciso de desespero para cumprir uma promessa deste modo violento! O que é preciso de gratidão para desta maneira pagar uma dívida só conhecida pela própria! O que é necessário de impotência para assim se entregar à dor, sem a sentir, para compensar a dor que se sente!

DN, 13 de Maio de 2018

3 comentários:

bea disse...

Não entendo estes gestos nem este Deus sanguinário.

Jorge Neves disse...

Se não entende vai ter de amadurecer para entender e não chame Deus sanguinário á ultima esperança dos desesperados.

bea disse...

Jorge
Reconheço, estou um bocado para o verde. Paciência. Talvez, quem sabe, verão adiante, com umas sessões de sol, amadureça.
Hoje, a autoflagelação é condenada até pela igreja católica. Mas há algo em que o senhor tem razão, o desespero aliado à crença pode ser trágico. Ou redentor.