sábado, 4 de julho de 2015

Douro, lugar de um encontro feliz - Exposição de fotografias

CONVITE

*
Press Release
O Museu do Douro inaugura no dia 10 de Julho a exposição de fotografias de António Barreto: “Douro, lugar de um encontro feliz”. A exposição é comissariada por Ângela Camila Castelo-Branco que seleccionou para a mostra fotografias do autor realizadas entre 1978 e 2014. O projecto teve como parceiros a Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte e a Liga dos Amigos do Douro Património Mundial.
A exposição consta de 55 fotografias a cores e a preto-e-branco mostrando a diversidade de pontos de vista e de impressões proporcionada pela Região, com particular foco nas vinhas, no vinho, no rio e nos socalcos e encostas dos vales do Douro e seus afluentes. Nesta região, ocorreu, há séculos, um encontro feliz entre trabalhadores, lavradores e comerciantes, entre portugueses e estrangeiros (ingleses, escoceses, holandeses…), de que resultou um grande vinho e uma paisagem única. Esta última, de excepcional beleza, é o resultado de um enorme esforço humano de trabalho, cuidado e disciplina. Assim como é testemunho de capítulos importantes da história de Portugal e do seu comércio.
A exposição estará patente ao público, na sede do Museu do Douro, no Peso da Régua, de 10 de Julho a 28 de Setembro de 2015. Depois deste período, entra em itinerância pela Região Demarcada do Douro.
*
António Barreto nasceu no Porto em 1942. Sociólogo, professor universitário e político, foi deputado e membro do governo, assim como colunista de vários jornais. Sócio correspondente da Academia das Ciências de Lisboa. Prémio Montaigne em 2004. Autor da série de televisão “Portugal, um retrato social” e do documentário “As horas do Douro”. Presidente da Fundação Francisco Manuel dos Santos, de 2009 a 2014. Sócio fundador da APPh. (Associação Portuguesa de Photographia). Autor de vários livros, entre os quais “Um Retrato do Douro”, “Douro”, “Fotografias 1967-2010” e “Douro; Rio, Gente e Vinho”.-Branco nasceu em Lourenço Marques, Moçambique,
Ângela Camila Castelo-Branco nasceu em Lourenço Marques, Moçambique, em 1966. É documentalista no Arquivo Histórico da RTP (Rádio Televisão de Portugal). Estudou fotografia no AR.CO (Centro de Arte & Comunicação Visual) de 1993 a 1997. Foi comissária de diversas exposições. Proferiu conferências. Tem publicado vários textos sobre História da Fotografia. Foi responsável pela organização e selecção iconográficas de vários livros. Coleccionadora de fotografias de Portugal e das ex-colónias. Sócia fundadora e membro da Direcção da Associação Portuguesa de Photographia (APPh.).
*
*
*

6 comentários:

bea disse...

Acredito que seja uma exposição bonita com modelo tão singular. Parabéns.

Bartolomeu disse...

A arte fotográfica de braço dado com a memória de um tempo, de uma gente, dos seus trabalhos que é de todo o interesse mostrar. Um valioso "documento" que ficará para a posteridade.

Maria do Céu Keil disse...

A julgar pelas fotografias que nos mostra, o Douro é um lugar de encontros felizes.
Parabéns!

Maria do Céu Keil disse...

A fotografia da cidade coberta de nevoeiro é Gaia?
Maravilhada com as fotografias que promovem a exposição.

António Barreto disse...

A cidade coberta de nevoeiro e bruma da manhã é Vila Nova de Gaia, vista do Porto, da Ribeira.

José Alfredo disse...

Uma bela exposição a ver nestas férias de verão no Museu do Douro, na Régua.
E um livro fantástico que revela toda arte de fazer fotografia do António Barreto, mostra toda a beleza e a luz única do Douro, e é um precioso documento para revisitar lugares únicos, seus silêncios, cores, aromas e a névoa, pessoas e seus modos de vida e de ganhar o pão, e refazer memórias da vinha e do vinho.
Estas suas fotografias fazem-nos acreditar que este Douro é um lugar de futuro e também de encontros e reencontro felizes.