domingo, 26 de junho de 2011

Luz - Rua de Argel, 1973

.
Clicar na imagem, para a ampliar
.

Nesse ano, o número de argelinas que usavam o véu branco era muito reduzido. A Argélia era um país laicizado. Ao que me dizem, é hoje muito maior. Por mais que me falem do relativismo das culturas e dos verdadeiros costumes dos povos, nunca aceitarei esta selvajaria machista

2 comentários:

Bartolomeu disse...

Lembro-me de ter assistido à uns anos, num canal da TV-cabo, à reportagem de uma jornalista francesa, desenvolvida em alguns países da Africa Ocidental. Nessa reportagem, entre outras, foi apresentada a entrevista a um líder religioso de uma grupo étnico, que deu a seguinte explicação/justificação, para a tradicional circuncisão femenina:
Muitas razões são dadas. Entre elas, a principal, refere a submissão da mulher ao homem. Na medida em que a circuncisão impede a mulher de obter prazer nas relações sexuais. Contudo, a verdadeira razão, prende-se com questões anatómicas, dado que a mulher africana, possui um clitóris de dimensões superiores, o que faz com que ao andar, se sinta imediatamente excitada sexualmente, desejando ter relações sexuais no mesmo instante!
E conseguiu dizer tudo isto, na mais séria expressão facial, concluindo com um raciocínio magistral: Está a ver; se não circuncisássemos as nossas mulheres e uma vez que existem muito mais mulheres que homens, não poderíamos aguentar tanto desejo sexual e a raça já estaria extinta!
Excelente conclusão!
;)
Para mim, a questão da circuncisão femenina, tem a ver com a sujeição da mulher e com a fidelidade, mas porque, desde tempos remotos, os homens passavam muito tempo fora de casa, em negocios , através do deserto, percorrendo as rotas comerciais das especiarias e dos panos, etc.
Na Europa, durante a idade média, colocou-se o mesmo problema, aquando das cruzadas e de outras guerras mais-ou-menos santas. por isso, alguém se lembrou de inventar o cinto de castidade... afinal, sempre fomos mais civilizados.
;)))

paulo disse...

Caro António,

Já tinha visitado o seu blog noutras ocasiões, e já tinha reparado nas diversas fotos que tem, feitas na Argélia.

Tive a oportunidade de viver 6 meses naquele país, no ano passado, ao abrigo de um programa de estágios internacionais (INOV Contacto). Durante a minha estadia criei um blog onde fui registando a minha experiência.

Convido-o a passar por lá:
www.missaoargelia.blogspot.com

Cumprimentos,
Paulo Santos