domingo, 16 de dezembro de 2012

Luz - Muro das Lamentações, Jerusalém 2012

Clicar na imagem, para a ampliar
.
A minha visita ao Muro das Lamentações trouxe-me a confirmação de um facto por mim conhecido há muito: mesmo conhecidas por outras vias, mesmo vistas mil vezes em cinema, fotografia ou televisão, mesmo lidas dezenas de vezes em jornais ou livros, mesmo contadas vezes sem fim por outras pessoas, certas coisas, pessoas ou situações, quando visitadas pela primeira vez, surpreendem-nos sempre! Foi o que aconteceu neste Muro famoso. Foi o que senti quando me aproximei de pessoas como esta que rezavam diante do Muro, por vezes inteiramente coladas às pedras! O ambiente à volta é inesquecível. Há tensão, disciplina, silêncio, murmúrio de orações, medo de provocações e um sentimento pouco amistoso por parte dos que querem rezar em privado e são perturbados pelos numerosos turistas que querem ver, às vezes compreender, quase sempre fotografar. Em certos dias não se pode entrar, ou falar ou fotografar. Noutros dias especiais, os gentios são afastados. Há cânticos e melopeias. Há silêncios que parecem gemidos. Naquelas fendas entre as pedras, como a que se vê nesta imagem, jazem milhares de bilhetes com nomes e orações, pedidos e promessas... De vez em quando, uma operação de limpeza liberta as fendas para que tudo recomece. Há sítios que ficam aquém do que se espera e são verdadeiras desilusões. Há locais que correspondem ao que se pretende. Há ainda os que ultrapassam tudo o que se esperava. Nesta última categoria, incluo Veneza, o deserto do Sara, Hong kong, Nova Iorque, Chartres, a Patagónia, o Machu Pichu... Israel e o Muro ficam neste grupo, sem dúvida. Pelas boas e pelas más razões.   (2012)

3 comentários:

Demo Gra Pia disse...

bom vá lá ao menos tá arrependido

se quer salvar a fé en lamentações
ao menos podia deixar a esmola aqui em casa
muros en ruines tamos nós cheios

e velhos a bater com os cornos na parede sem saber onde estão

tamém tá isto cheio

og en hel del annet rart disse...

A minha visita trouxe-me a mim a minha con firmação de um facto por mim e só por mi con he sido, tá cheio de ego peregrino né?

Demo Gra Pia disse...

o muro é a obra do grande arquitectum?

bolas adevia ser português né?

se deus fosse brasileiro saía um
mara ca anã

boa canaã para si ó douto fundador de peregrinas nações